Suspeitos de tráfico e seguranças de mercado são indiciados no caso de tio e sobrinho mortos após furtarem carne na Bahia

Suspeitos de tráfico e seguranças de mercado são indiciados no caso de tio e sobrinho mortos após furtarem carne na Bahia

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Policia informou nesta quarta (7), que inquérito foi concluído e encaminhado para o Ministério Público. Ainda nesta quarta, polícia realiza terceira fase de operação que busca outros suspeitos de envolvimento com o crime.

O inquérito sobre o caso do tio e sobrinho assassinados após furtarem carne no supermercado Atakarejo, em Salvador foi concluído na na terça-feira (6), conforme divulgou a Polícia Civil nesta quarta (7). Suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas no bairro Nordeste de Amaralina e seguranças do mercado foram indiciados pelo crime.

De acordo com a polícia, o inquérito concluído pelo Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) foi encaminhado para o Ministério Público, e os envolvidos foram indiciados por homicídio qualificado, omissão de socorro e ocultação de cadáver.

Nesse período de investigações, além das prisões, mandados de busca e apreensão foram cumpridos, um deles, na sede do supermercado, onde foram recolhidos livros de ocorrências administrativas, computadores e aparelhos celulares.

Na manhã desta quarta-feira, a polícia deflagrou a terceira fase da Operação Retomada para cumprir mandados de prisão e de busca e apreensão de outros suspeitos de envolvimento com o crime.

A presidente do inquérito, delegada Zaira Pimentel, informou que a terceira fase acontece após a chegada de laudos do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Através deles a polícia verificou novos integrantes, após análise do circuito de câmeras de segurança do supermercado.

A delegada informou ainda que a partir da abertura do inquérito nasceram novas investigações e a polícia também apura crime de tortura, um falso testemunho e um furto. A delegada disse ainda que o inquérito não é apenas sobre o homicídio de Yan e Bruno Barros, mas também sobre outros crimes.

A PM detalhou ainda que ele foi encontrado por policiais na Rua Paulo VI, enquanto os PMs faziam uma ronda. O órgão informou que, quando chegou ao local, foi confrontado por homens armados e revidou.

No entanto, a família de Matheus contestou a versão policial e informou que o jovem estava dentro de casa com a sogra e o filho, quando os PMs invadiram o imóvel, pediram para a criança e a sogra dele se retirar, e mataram ele.

A versão da polícia é de que após o confronto, os policiais encontraram Matheus ferido no chão e o socorreram para o Hospital Geral do Estado (HGE), mas ele já chegou na unidade sem vida. O envolvimento de Matheus no caso das mortes de tio e sobrinho só foi identificado durante o registro da ocorrência.

Ainda de acordo da PM, quando o procedimento de identificação estava sendo feito, a polícia localizou um mandado de prisão contra ele, por causa do inquérito do caso das mortes de tio e sobrinho. A polícia não detalhou o tipo de envolvimento de Matheus nas mortes.

Fonte:g1.globo.com /ba

Foto Reprodução/Polícia Civil