Rui Costa e ministro João Roma visitam áreas afetadas pela chuva no sul da BA; temporal já afeta quase 400 mil pessoas na região

Rui Costa e ministro João Roma visitam áreas afetadas pela chuva no sul da BA; temporal já afeta quase 400 mil pessoas na região

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Gestores vão sobrevoar áreas afetadas e traçar estratégias para auxílio às famílias atingidas pela chuva na região.

O governador da Bahia, Rui Costa, e o ministro da Cidadania, João Roma, visitam a cidade de Ilhéus, no sul do estado, neste domingo (26), para monitorar os impactos provocados pela chuva e traçar medidas para conter os prejuízos provocados desde o final de novembro.

Rui vai sobrevoar a região e tem reuniões agendadas com representantes de órgãos que atuam diretamente no auxílio às famílias afetadas e líderes políticos da região. Já o ministro João Roma também se reunirá com gestores políticos da região e pretende traçar outras ações do governo federal para apoio aos prejudicados pelos temporais. No início da tarde, o ministro concederá entrevista coletiva na prefeitura de Ilhéus. Uma das ações divulgadas pela União é o repasse de recursos aos municípios para estruturar os espaços montados para acolhimento das pessoas desalojadas e desabrigadas, no valor médio de R$ 400 por pessoa. Cestas de alimentos também serão entregues em região em situação de vulnerabilidade. A estimativa inicial é de que 32 mil cestas sejam doadas. João Roma esteve também em Nazaré das Farinhas, a cerca de 200 km de Salvador, e visitou as imediações do Rio Jaguaripe, que corta a cidade, e comentou sobre a situação após o aumento do nível da água por causa da chuva. “Como vocês conseguem observar, subiu muito o nível do Rio Jaguaripe. A água invadiu muitas casas. Pessoas desabrigadas, muita destruição também em toda área rural. São pontes destruídas, bueiros, estradas vicinais. Mas o que estamos focando nesse momento é preservar vidas”, comentou.

“É importante nesse momento que a gente una esses esforços com alimentos, medicamentos, agua potável, transporte, energia elétrica e toda a tenção e cuidado com essas águas que estão vindo, movimento geométrico que são muito traiçoeiros”.

De acordo com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), até o momento, 378.286 pessoas foram afetadas pela chuva de alguma forma. O balanço mais recente foi divulgado pelo órgão na sexta-feira (24) e registra um total de 17 mortes. A última vítima confirmada é uma criança de um ano, picada por uma cobra, no município de Prado, que só apareceu no local por causa da chuva.

Entre sexta (24) e sábado (25), o nível do Rio Cachoeira, que corta a cidade de Itabuna, subiu nove metros causou prejuízos e a prefeitura informou que decretou situação de emergência no sábado. Cerca 600 famílias estão desalojadas ou desabrigadas e bairro Bananeira é o mais afetado. A chuva causou consideráveis estragos e agravamento de diversas situações nas vias públicas como destruição de pavimentos, calçamentos, entupimentos de canais, bueiros, saídas de água, alagamento de ruas, queda de encostas. A força da água conseguiu arrastar uma árvore pelo rio Cachoeira. Duas pontes principais da cidade precisaram ser interditadas: uma ponte de pedestres, perto da Câmara de Vereadores, e a ponte do Marabá.

Fonte:g1.globo.com/ba

Foto: Secom/Divulgação