Policiais Civis da Bahia decretam greve geral por 72 horas

Policiais Civis da Bahia decretam greve geral por 72 horas

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Policiais civis da Bahia decretaram greve por 72h, em articulação que inicia a partir da manhã de sexta-feira (25). Durante o período, estará suspenso todo e qualquer serviço inerente aos Policiais Civis da Bahia. 

O movimento grevista já vinha sendo anunciado pela categoria há alguns meses, sempre sendo postergado, pois havia esperança por parte dos policiais que o governo chamasse a categoria para uma mesa de negociação.Em nota, o Sindicato de Policiais Civis (Sindpoc) afirmou que o ponto alto da crise entre o Estado e servidores foi quando o governo descumpriu a decisão judicial de não abrir uma mesa para diálogo com os servidores, como explica o presidente dos Policiais Civis da Bahia, Eustácio Lopes. 

“A todo instante nós do sindicato estávamos avisando que o clima era tenso dentro das delegacias, entre os PCs era para deliberar a greve imediata. No entanto, acreditamos nos conseguiríamos negociar com Rui Costa, o ato do governo descumprir a decisão judicial de conversar conosco nos revoltou profundamente”, explica. 

De acordo com o Sindicato, reuniões foram realizadas em 2021 colocando na mesa a pauta salarial para os policiais com nível superior. 

“Rui Costa terá que ir até à imprensa explicar porque descumpriu a decisão da justiça de conversar conosco. Ele também terá que falar sobre a falta de estrutura nas delegacias, e por que, entre os 9 estados do nordeste, a Bahia é aquele que paga o pior salário ao policial civil enquanto no ranking nacional, o estado ocupa a 24ª posição”, comenta Lopes.

BNews entrou em contato com a Polícia Civil que, via assessoria de comunicação, afirmou que “posicionamento é este: o funcionamento segue normalmente porque segurança pública é um serviço essencial e, além das unidades físicas, contamos com a delegacia digital, onde podem ser registrados mais de 15 tipos de crime”.

“A Polícia Civil esclarece que segurança pública é serviço essencial e ressalta que, apesar de não existir proibição expressa na Constituição Federal ao exercício do direito de paralisação por parte de policiais civis, o Supremo Tribunal Federal decidiu, em 2017, que a vedação de greve a policiais militares, bombeiros e militares das Forças Armadas se estende a eles”, disse a Polícia, em nota.

Em nota, a Secretaria de Administração da Bahia (Saeb) afirmou que o ingresso nas carreiras de investigador, escrivão e perito técnico por meio de concurso público tem entre as exigências a comprovação de nível superior.Entretanto, diz a nota, a lei não estabeleceu a equiparação remuneratória para as diferentes carreiras e cargos que integram esse Grupo Ocupacional.

Além disso, as tabelas salariais das carreiras estão atreladas aos cargos e seus valores observam a natureza da atividade, o grau de responsabilidade e de complexidade, como orienta o artigo 39 da Constituição Federal.O secretário de Segurança Pública, Ricardo Mandarino, e o Governador da Bahia, Rui Costa, não se manifestaram até o fechamento desta reportagem. 

Fonte:www.bnews.com.br