Polícia faz reconstituição do caso de grávida morta com tiro em Santo Estêvão, no interior da Bahia

Polícia faz reconstituição do caso de grávida morta com tiro em Santo Estêvão, no interior da Bahia

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Foram encontradas divergências no depoimento do marido da vítima, principal suspeito do caso.

A polícia realizou, na tarde da última terça-feira (5), a reconstituição da morte de Jéssica Regina Macedo Carmo, grávida de 9 meses baleada em Santo Estêvão, cidade a cerca de 150 quilômetros de Salvador. A morte aconteceu no dia 5 de fevereiro e o marido da vítima, George Passos Santana, é o principal suspeito.

Segundo a polícia, a reconstituição foi feita porque foram encontradas divergências no depoimento de George.

No dia 5 de fevereiro, Jéssica foi atingida nas costas por um tiro de espingarda, na casa onde vivia com o marido. Ela foi levada por George para o Hospital Doutor João Borges Cerqueiral, também em Santo Estevão. O parto foi realizado, mas ela e o bebê não resistiram.

George Passos Santana foi apontado como suspeito da morte. Ele é ex-vereador e trabalhava como chefe de gabinete de prefeitura em Santo Estêvão. Em seu primeiro depoimento à polícia, afirmou que o tiro foi acidental.

George Passos, ex-vereador é suspeito de matar esposa grávida em Santo Estêvão, na Bahia. — Foto: Reprodução

George contou que lavava seu carro na porta de casa, quando Jéssica o teria chamado para conversar sobre o relacionamento. O ex-vereador disse que ela estava com as mãos para trás e que ele teria desconfiado do gesto.

George narrou que houve uma discussão e, em seguida, um disparo de forma acidental. Ainda no depoimento, disse que ficou parado, olhando para o teto, porque pensou que o tiro tinha atingido a casa. Depois disso, ao perceber que Jéssica havia sido baleada nas costas, a levou para o hospital.

Durante a investigação do caso, o delegado responsável afirmou que a versão de George Passos não é compatível com a da perícia. A família de Jéssica acredita que o ex-vereador foi o autor do disparo.

O ex-vereador participou da reconstituição do caso, assim como familiares de Jéssica, promotores e advogados.

Segundo a polícia, não há mais necessidade de fazer outras diligências e o inquérito será concluído em breve.

Fonte:g1.globo.com / ba