Morre aos 97 anos anos o historiador baiano Cid Teixeira

Morre aos 97 anos anos o historiador baiano Cid Teixeira

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

A causa da morte não foram divulgadas. Também não há informações sobre enterro e sepultamento.

Morreu nesta terça-feira (21), em Salvador, o historiador baiano Cid José Teixeira Cavalcante. Ele tinha 97 anos e faleceu em casa, enquanto dormia.

A causa da morte não foi divulgada. No entanto, há muitos anos ele enfrentava problemas de saúde. Horário e local do sepultamento também não foram informados.

Formado em Direito pela Universidade Federal da Bahia, ele nunca atuou como advogado. A vida inteira foi dedicada ao estudo de História, como funcionário do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Ele era profundo conhecedor dos “casos e causos” baianos, bem como dos fatos que marcaram a construção social e cultural do estado.

Ele também foi professor de História na Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da Ufba e na Universidade Católica do Salvador (UCSal). Cid Teixeira atuou, ainda, como diretor da Fundação Gregório de Mattos e implantou o Serviço de Rádio Educação da Rádio Educativa da Bahia.

Além disso, ocupou a cadeira de número 19 da Academia de Letras da Bahia e publicou diversos livros, como “Bahia em Tempo de Província” (1986); “História do Petróleo na Bahia” (2001) e “Salvador: História Visual” (2001).

Em 1992, foi condecorado com a Medalha Tomé de Souza, em 1992, mais alta honraria concedida pela Câmara Municipal de Salvador. Em 2013, recebeu a comenda 2 de Julho, pela Assembleia Legislativa da Bahia.

O enterro de Cid Teixeira está marcado para a tarde de quarta-feira (22), no Cemitério Campo Santo, em Salvador. A previsão é de que o sepultamento aconteça 16h30, na Capela 7.

Em nota, a Universidade Federal da Bahia (Ufba) lamentou a morte do historiador e se solidarizou aos familiares, amigos, colegas, alunos e admiradores de Cid Teixeira.

Quem também lamentou a morte de Cid Teixeira foi Fernando Guerreiro, atual presidente da Fundação Gregório de Mattos (FGM).

“Grande professor, apaixonado pela nossa história e pelo nosso povo. Ele dedicou sua vida a entender e explicar para seus milhares de alunos e admiradores o nosso modo de ser e de viver. Através dele nos reconhecemos enquanto baianos, particulares e apaixonantes. Professor, siga em paz, sua contribuição é inesquecível, sua vida um exemplo. Palmas de pé!”.

O secretário de Saúde de Salvador, Léo Prates, também divulgou uma nota de pesar nas redes sociais.

“Lamento o falecimento do professor Cid Teixeira, verdadeiro guardião e difusor da história da Bahia, por tantas gerações. O seu legado seguirá mais vivo do que nunca entre nós. Meus sinceros sentimentos aos familiares e amigos”, disse o secretário.

Fonte:g1.globo.com/ba