LUZES DE ESPERANÇA

LUZES DE ESPERANÇA

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

LUZES DE ESPERANÇA

Muitas pessoas, seguindo Fake – News – notícias falsas – a respeito da eficácias das
vacinas para combater a pandemia do coronavirus, não querem ser vacinadas e,
outras, que receberam a primeira dose não se apresentam para receber a segunda.
Isso é um atentado contra a própria vida, a vida dos familiares e da comunidade.

O BRASIL vive dias de luto e tristeza. Hospitais, centros de saúde e pronto￾atendimentos públicos e privados estão repletos de pacientes que lutam pela vida.
Profissionais da área da saúde – médicas e médicos, enfermeiras e enfermeiros,
trabalhadoras e trabalhadores de administração, manutenção e limpeza das casas de
saúde – mostram coragem e clamam que o Brasil não está perdendo números; são
mulheres e homens, crianças, jovens e idosos, que têm suas vidas abreviadas.

A PANDEMIA do coronavirus é a maior tragédia da história recente do Brasil e o único
caminho viável para superar essa tragédia é a vacina. Tomar a vacina é um bem para
nós mesmos e para as demais pessoas. Estamos, assim, colaborando com a saúde do
próximo, ajudando a diminuir sofrimentos e possibilitando a retomada do ritmo
“normal” da vida pessoal, familiar e social.

A VACINA é um presente de Deus e da inteligência de cientistas, homens e mulheres
comprometidos com a vida. A vacina é o caminho que liberta da morte. Cada vacina é
uma dose de esperança para quem a recebe e para as demais pessoas. “As vacinas são
Luzes de Esperança” (Papa Francisco). Bendita a mulher, bendito homem que nos ajuda
a viver! Deus seja louvado pelo dom da vida!

CONTINUEMOS com todos os cuidados preventivos. (Uso da máscara, distanciamento
social, higiene das mãos…) Isso evitará, a eventual possibilidade, de que nos tornemos
vítimas da pandemia. Vamos seguir o caminho dos cientistas que são pesquisadores
apaixonados! Deus os fez capazes de cuidar da vida. Não ouçamos as vozes que não
aceitam as vacinas.

QUEREMOS nos solidarizar com as famílias que choram a morte de suas avós e avôs,
mães e pais, filhas e filhos. Lembramo-nos da frase, carregada de esperança, do livro do
Apocalipse: “Ele enxugará toda lágrima dos seus olhos, pois nunca mais haverá morte,
nem luto, nem clamor e nem dor haverá mais” (Ap, 21a).

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
divianfs@ig.com.br