Justiça volta a proibir corte de salários dos professores em Feira de Santana

Justiça volta a proibir corte de salários dos professores em Feira de Santana

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Decisão foi proferida após prefeitura ter liminar favorável à redução. Impasse entre trabalhadores e município acontece desde março de 2020.

Justiça voltou a proibir o corte de salário dos professores da rede municipal de Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador. A decisão foi proferida na segunda-feira (21), contra uma liminar favorável à prefeitura, neste mês.

No documento, a juiz Nunisvaldo dos Santos determinou ainda que a prefeitura pague 10% da compensação de despesas da defesa dos trabalhadores.

O G1 entrou em contato com a prefeitura de Feira de Santana, para saber se as determinações judiciais serão acatadas, mas ainda não obteve resposta.

O impasse entre a categoria e a prefeitura acontece desde março de 2020. Quando as aulas presenciais foram suspensas, os professores tiveram os salários e gratificações parcialmente cortados.

Por causa da redução dos salários, os trabalhadores começaram a passar por dificuldades financeiras. Em abril do ano passado, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado da Bahia (APLB) entrou com um processo na 2ª Vara da Fazenda Pública.

A decisão foi favorável para a categoria e a prefeitura solicitou um recurso, que foi negado. A gestão entrou com um pedido de liminar, que acabou sendo acatado pela Justiça. Essa é a liminar derrubada por decisão proferida na segunda-feira.

Fonte:g1.globo.com / ba