Justiça manda que governo explique, até segunda-feira (14), aumento nos combustíveis

Justiça manda que governo explique, até segunda-feira (14), aumento nos combustíveis

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Ação civil pública foi ajuizada, no Distrito Federal, pelo Conselho Nacional do Transporte de Cargas, sindicatos e Frente Parlamentar Mista do Caminhoneiro Autônomo e Celetista. Governo tem 72 horas para se manifestar.

A juíza Flávia de Macêdo Nolasco, da 9ª Vara Federal de Brasília, deu um prazo de 72 horas para que o governo federal se manifeste sobre o aumento do preço dos combustíveis anunciado na quinta-feira (10), pela Petrobras, e que passou a valer nesta sexta (11).

A ação civil pública foi ajuizada pelo Conselho Nacional do Transporte de Cargas (CNTRC), Sindicatos dos Transportadores Autônomos de Cargas de Guarulhos e de Jundiaí e pela Frente Parlamentar Mista do Caminhoneiro Autônomo e Celetista, que reúne 235 deputados e 22 senadores.

O despacho com o pedido de informações para que a Justiça Federal decida sobre a liminar foi feito nesta sexta-feira. O prazo para que o governo e a Petrobras se pronunciem termina na segunda-feira (14).

As entidades pedem a suspensão imediata do reajuste nos combustíveis e gás de cozinha:

  • 18,8% de aumento na gasolina
  • 24,9% de aumento no litro do diesel
  • 16,1% de aumento no gás de cozinha vendidos às distribuidoras

Nesta sexta-feira, no Distrito Federal, o litro da gasolina era vendido a quase R$ 8. Na quinta-feira (10), assim que soube do aumento, o brasiliense correu para os postos de combustíveis para tentar pagar um pouco menos.

As filas de carros para abastecer davam voltas. A cena se repetiu em várias cidades do país.

Segundo o presidente do Sindicombustíveis no DF, a diferença de preço para o mercado internacional é de R$ 1,10 para a gasolina e de R$ 1,40 para o diesel. Paulo Tavares diz que a Petrobras só repassou R$ 0,60 da gasolina e R$ 0,90 do diesel.

Já o gás de cozinha não passava por reajuste há 152 dias. Atualmente, o preço do produto no país é de R$ 102,64 o botijão de 13 kg, em média, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP).

Fonte:g1.globo.com

Foto: TV Globo/Reprodução