Ícone do brega: Restos mortais de Waldick Soriano são transferidos para Bahia, 14 anos após sepultamento no Rio de Janeiro

Ícone do brega: Restos mortais de Waldick Soriano são transferidos para Bahia, 14 anos após sepultamento no Rio de Janeiro

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Artista marcou gerações com sucessos como “Eu não sou cachorro, não” e “Tortura de amor”. Túmulo ficará em Caetité, sua cidade natal.

Os restos mortais do cantor Waldick Soriano, ícone da música brega brasileira, foram transferidos para Caetité, cidade natal do artista, no sudoeste da Bahia. Nesta sexta-feira (6), uma cerimônia foi realizada no Cemitério Bosque da Paz, às 9h, para marcar o novo sepultamento. Waldick Soriano morreu aos 75 anos, no Rio de Janeiro, em decorrência de um câncer de próstata. Fãs do artista disseram que túmulo onde o corpo dele foi sepultado estava abandonado, e sem receber os devidos cuidados.

Com isso, eles mobilizaram familiares do artista e conseguiram a transferência dos restos mortais de Waldick para Caetité. As ossadas do pai do cantor e de um sobrinho dele também foram deslocadas para a cidade do sudoeste baiano. Se estivesse vivo, Waldick Soriano completaria 89 anos na próxima sexta-feira, dia 13 de maio.

O artista tinha mais de 40 anos de carreira e marcou gerações com grandes sucessos como “Eu não sou cachorro, não” e “Tortura de amor”. Antes de se enveredar na música, ele chegou a ser peão, motorista de caminhão e garimpeiro.

Fonte:g1.globo.com/ ba