Greve de servidores do INSS tem adesão de médicos peritos e chega ao quarto dia na Bahia

Greve de servidores do INSS tem adesão de médicos peritos e chega ao quarto dia na Bahia

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Ao todo, 140 postos em Salvador e no interior do estado estão com atendimento suspenso. Categoria cobra reajuste salarial e contratação de novos servidores.

A greve dos servidores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) na Bahia chegou ao quarto dia nesta quinta-feira (31) e ganhou adesão dos médicos peritos. Os serviços estão suspensos em sete gerências e 140 postos de todo o estado.

Sem atendimento nos postos e a partir da adesão dos médicos, as perícias, que estavam sendo realizadas, também foram suspensas na capital e no interior baiano. Algumas pessoas tinham atendimento agendado para esta quinta-feira, se deslocaram até unidades, mas não foram atendidas.

A paralisação faz parte de um ato nacional dos servidores. A categoria cobra a realização de concurso público para suprir o déficit de pessoal, reposição salarial de 19,9% e melhoria das condições de trabalho nas unidades da Previdência Social.Nesta manhã, um grupo de servidores se reuniu em frente à unidade do Ministério da Economia, no bairro do Comércio, em cobrança pelas reivindicações. A Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador) informou que o ato não chegou a interferir no fluxo de veículos na região.

O advogado Eddy Parish, especialista em direito previdenciário, destacou que a greve é dos servidores do INSS, não do órgão em si. Portanto, a recomendação é que os beneficiários continuem a requerer os benefícios por meio das plataformas online – o próprio site do INSS.

“É importante estabelecer que a relação do segurado é com o INSS. E o órgão não entrou em greve. Então, é preciso que o segurando continue a dar entrada nos benefícios através das plataformas online e dos advogados. Isso garantirá a data de entrada no requerimento, ainda que não haja perícia imediata”, disse.

Segundo Parish, através do pedido, o cidadão poderá acionar a Justiça para ter acesso ao benefício. Além disso, quem ainda não recebe o auxílio pela falta da perícia, deve solicitar o requerimento porque o benefício será pago de forma retroativa, seguindo a data que o atendimento foi marcado.

“O dia que ela requerer, é o que fixa a data de início do benefício. Quando for concedido, ela receberá, se deferido for, retroativamente até a data que ela deu entrada no sistema”, pontuou.

Mesmo sem uma data para o fim da greve, é possível reagendar atendimentos pelo site, pelo aplicativo Meu INSS e pelo telefone 135. Outra opção é acessar o site ou Meu INSS e tentar a realização do serviço pela plataforma, antes de procurar uma agência.

Entre os serviços disponíveis na plataforma estão: pedido e acompanhamento de aposentadorias, benefício assistencial e pensão por morte, pedido do salário-maternidade, de auxílio-doença, consulta à revisão do benefício, pedido de recurso de benefício e certidão de tempo de contribuição.

Pelo app também é possível enviar documentos digitalizados, escaneados ou fotografados pelo celular. Depois de solicitar, o segurado pode acompanhar o andamento do pedido, com o protocolo de requerimento. Esse acompanhamento pode ser feito pelo aplicativo ou telefone 135.

Se a agência estiver aberta e os servidores se negarem a prestar atendimento, é recomendado pedir um documento que comprove o comparecimento ao local. O segurado pode solicitar, ainda, que o serviço seja reagendado pelo atendente – e depois confirmar a remarcação pelo 135, pedindo número de protocolo.

Fonte:g1.globo.com / ba

Foto: Reprodução/TV Bahia