Gerônimo fala de projetos e ironiza declaração de Presidente

Gerônimo fala de projetos e ironiza declaração de Presidente

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

O pré-candidato a Governador do Estado da Bahia, Jerônimo Rodrigues (PT), esteve em Feira de Santana, na sexta-feira Santa, onde participou da celebração da Paixão do Senhor, na Catedral Metropolitana de Santana.
Acompanhado por familiares e correligionários, o político disse em entrevista coletiva que teve três momentos importantes na sua pré-campanha.
Primeiro: a presença do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva, no lançamento do seu nome como pré-candidato, Geraldo Júnior (MDB), como vice, e Otto Alencar (PSD), como senador.
Ele acrescentou que o grupo esperava cerca de 3 mil pessoas no evento e compareceram mais de 11 mil.
Segundo: no dia 03 de abril justamente na data do seu aniversário aconteceu em Feira de Santana, a apresentação do programa de governo.
Terceiro: as viagens que começaram pela cidade de Irecê, e tem o objetivo de percorrer a Bahia inteira com 27 plenárias ouvindo propostas a fim de elaborar o programa de governo para 2023.
Gerônimo Rodrigues, ironizou a declaração do Presidente da República Jair Bolsonaro (PL), que na oportunidade disse que ele foi o pior secretário de educação do Brasil.

” Eu não gostaria de receber nenhum presente do Presidente. Ele não tem lugar pra falar mal da educação, porque a bola da vez foi trocar barra de ouro pelo INEP, órgão que foi criado por Anísio Teixeira, e não pode se submeter a essa situação. O presidente tirou recurso das Universidades Federais e já colocou cinco ministros na pasta, portanto, não tem moral pra fazer crítica a nenhum secretário, mesmo porque o INEP, avaliou o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, IDEB, e os indicadores de 2019 nos proporcionaram um crescimento de 25%, o melhor do Brasil”.

Sobre os números das últimas pesquisas, o petista destacou que o grupo está unido e as avaliações são motivadoras, mas às vezes extrapolam. “Temos que estar com os pés no chão. Sabemos que não sou desconhecido e sim novo na política e estou na fase de apresentação. A pesquisa que registramos, por exemplo, nos dá uma performance muito boa quando cola o meu nome com os nomes de Rui Costa e Lula, e é nesse ponto que a gente vai trabalhar para que a Bahia continue numa crescente.

O pré-candidato fez questão de frisar que os encontros estão acontecendo com grupos, prefeitos e movimentos sociais lhe proporcionando a firmeza para a disputa eleitoral.