Fluminense se agiganta diante de um Fla sem rumo

Fluminense se agiganta diante de um Fla sem rumo

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

De um lado, o Fluminense, o novo campeão carioca, com muita organização tática, destaques individuais e uma garra incomum. Do outro, o milionário elenco do Flamengo que mais parecia um bando em campo, sem intensidade, com seus jogadores sem saber exatamente o que fazer, quase apático diante do rival.

Foi assim nas duas partidas finais em que o Fluminense se mostrou muito superior ao adversário, principalmente naquela que definiu o campeão – o empate por 1 a 1, nesse domingo (2), no Maracanã. O time teve uma atuação de gala, estonteando o Flamengo. Dias antes, na vitória por 2 a 0, não foi muito diferente.

Germán Cano ofuscou Gabigol e companhia. O volante André, 21 anos, despontou como o melhor na posição no futebol do Rio, abrindo ainda mais o caminho para integrar a Seleção Brasileira após o Mundial do Catar. Nino, na zaga, fez jus ao título de medalhista de ouro na recente Olimpíada de Tóquio. 

Some-se a isso a segurança do goleiro Fábio, a versatilidade do meia Yago Felipe, a mestria do futebol-arte de Paulo Henrique Ganso e a experiência dos veteranos Felipe Melo, Willian Bigode e Fred, em que pese a fase de descontrole emocional do atacante do Flu, expulso duas vezes nos últimos três jogos da equipe.

Numa gangorra em que alterna altos e baixos, o técnico Abel Braga, alvo da ira dos tricolores até duas semanas atrás, voltou aos braços da torcida. Teve muito mérito na conquista do Carioca ao armar um esquema que anulou o ímpeto ofensivo do Flamengo e deixou o colega português Paulo Sousa em situação pra lá de delicada. 

Fonte:www.terra.com.br

Foto: Felipe Duest/Pera Photo Press