Fé, caruru e vermelho: celebração a Santa Bárbara inicia calendário de festas populares na Bahia

Fé, caruru e vermelho: celebração a Santa Bárbara inicia calendário de festas populares na Bahia

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Santa é celebrada entre os católicos e os adeptos do candomblé, já que no sincretismo religioso, ela representa Iansã, orixá dos ventos e da natureza. Por conta da pandemia, festa segue restrita em 2021.

O calendário de Festas Populares da Bahia começa neste sábado (4), com a celebração a Santa Bárbara. O festejo, um dos mais tradicionais de Salvador, costuma reunir milhares de pessoas pelas ruas do Centro Histórico.

Como em 2020, por conta da pandemia de Coronavírus, a festa deste ano não seguirá a tradição de colorir de vermelho o Pelourinho. No entanto, os sinos e clarins que anunciam a chegada do povo de fé estarão presentes já nas primeiras horas do dia.

A santa, de origem turca, é celebrada na Bahia entre os católicos e os adeptos do candomblé, já que no sincretismo religioso, ela representa Iansã, orixá dos ventos e da natureza.

Devota leva presente para Santa Bárbara, Iansã no sincretismo religioso. Salvador, Bahia — Foto: Max Haack/ G1

Devota leva presente para Santa Bárbara, Iansã no sincretismo religioso. Salvador, Bahia — Foto: Max Haack/ G1

Neste ano, as missas serão celebradas às 7h, 9h e 11h. Não há mais vagas para assistir a comemoração presencialmente. Quem não conseguiu fazer a reserva, pode acompanhar as celebrações ao vivo através do canal da Irmandade dos Homens Pretos – Salvador. Ainda neste mesmo dia, acontecerá a transmissão da Live Cultural em louvor a Santa Bárbara, às 15h.

Tradicionalmente, no dia de Santa Bárbara, a imagem deixa a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos e é levada para um palco no Largo do Pelourinho, onde uma missa campal é realizada. De lá, a procissão segue para o Quartel do Corpo de Bombeiros, também na região do Centro Histórico.

Por causa da pandemia, o tradicional caruru distribuído pelo Corpo de Bombeiros Militar da Bahia em homenagem a Santa Bárbara, será distribuído em 600 quentinhas para os moradores de comunidades da capital baiana.

De acordo com pesquisadores, a escolha do caruru para homenagear Santa Bárbara tem a ver com a relação entre os orixás Iansã e Xangô. O quiabo é um alimento ligado à dinastia de Xangô, e segundo as tradições, unifica uma das cortes dos candomblés, formada por Xangô, Iansã, Obá, Ibejis e Ia Massê Malê ou Baiane.

Caruru é o prato típico que homenageia Santa Bárbara — Foto: Reprodução/TV Bahia

Caruru é o prato típico que homenageia Santa Bárbara — Foto: Reprodução/TV Bahia

A missa que tradicionalmente acontece na capela dos Bombeiros, na Barroquinha, não terá a presença dos fiéis. A cerimônia vai ser transmitida ao vivo através das redes sociais da corporação. O quartel também não estará aberto para a visitação do público.

“Essas entregas acontecem tradicionalmente no nosso quartel, mas, por causa da pandemia, desde o ano passado estamos com esse novo formato. Estamos priorizando a entrega das quentinhas para pessoas em vulnerabilidade social e também levamos um pouco de conforto para esses cidadãos. Pedimos à população que não vá ao quartel, mas que façam suas orações em casa”, concluiu o comandante-geral Adson Marchesini.

Fonte:g1.globo.com / ba

Foto: Max Haack/Ag. Haack