Família procura sinaleiro desaparecido há seis dias na Bahia; homem deixou ônibus em Feira de Santana e não foi mais visto

Família procura sinaleiro desaparecido há seis dias na Bahia; homem deixou ônibus em Feira de Santana e não foi mais visto

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Werbs Santos, de 41 anos, mora em São Paulo e deixou a capital paulista no domingo (16) para passar alguns dias em uma cidade pernambucana. Durante trajeto, ele desceu do coletivo e, até então, não foi mais visto.

O chaveiro Sebastião Santos, procura pelo irmão, Werbs Lúcio dos Santos, de 41 anos, que está desaparecido desde terça-feira (18). O homem foi visto pela última vez quando passava, em um ônibus, junto com uma cunhada, pela Avenida Centenário, em Feira de Santana, cidade a 100 quilômetros de Salvador.

De acordo com Sebastião, Werbs Santos trabalha como sinaleiro, que tem a função de orientar o operador do guindaste com sinais específicos. Ele mora em São Paulo e, de ônibus, deixou a capital paulista no domingo (16) para passar alguns dias em Águas Belas, cidade pernambucana onde mora a família.

O motivo da viagem, segundo Sebastião, foi o óbito de um dos irmãos dele, Welinton Santos, que foi morto carbonizado na sexta-feira (14), em Águas Belas. Diante do caso, Werbs decidiu voltar para a cidade onde nasceu para passar alguns dias com a família.

A viagem era realizada junto com uma de suas cunhadas. Ela relatou à família que Werbs disse que queria voltar para casa e não tinha condições de encontrar a mãe em Águas Belas. Em seguida, durante o trajeto, ele foi até o motorista do ônibus e pediu para que parasse o veículo porque tinha esquecido a carteira com os documentos no ponto de apoio para almoço.

No entanto, conforme informações iniciais da família, a informação foi apenas um motivo para que ele pudesse deixar o coletivo. Ao ter o pedido atendido pelo motorista, o sinaleiro desceu no trecho da cidade baiana de Feira de Santana, quando o veículo passava pela Avenida Centenário. Os documentos dele foram deixados com a cunhada.

A mulher contou à polícia que, quando Werbs Santos decidiu descer do veículo, ela resolveu gritar que ele estava tendo um surto para que os demais passageiros a ajudasse a mantê-lo no ônibus. A iniciativa não teve o resultado esperado pela cunhada e ele deixou o coletivo. Três homens, sendo um deles policial, desceram para acompanhar Werbs, mas ele correu e não foi alcançado.

“Ele estava muito abatido pela morte do meu irmão. Ele falou que só iria para Pernambuco, porque a passagem já estava comprada, mas desistiu e ninguém tem notícia dele”, afirmou Sebastião.

O irmão de Werbs Santos conta que o sinaleiro não tinha problemas psicológicos, mas apresentou muita tristeza após a morte do irmão, Welinton.

“Meu irmão não é um homem maluco. Ele trabalha em uma grande empresa de São Paulo, nunca apresentou problemas psicológicos, mas estava muito triste e temia a reação de minha mãe”, contou o chaveiro.

Werbs usava uma bermuda jeans e uma jaqueta de couro, quando desceu do veículo. Ele tamém não retornou para a casa onde morava, em São Paulo.

O caso foi registrado na 2ª Delegacia de Feira de Santana, onde é investigado.

Fonte:g1.globo.com/ba