Entenda o que se sabe e o que falta esclarecer sobre morte do menino de 2 anos na Bahia; padrasto é suspeito

Mãe diz que criança foi espancada por padrasto antes de morrer; jovem relata que viajou em ônibus com corpo do filho por 1h30

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Garoto foi encontrado morto dentro de casa, em Lauro de Freitas, por policiais. A mãe da criança informou que já havia saído com ele sem vida da cidade de Saubara, onde estava com o companheiro, que é procurado para prestar depoimento.

O pequeno Adrian Benjamim Santana, de 2 anos, foi encontrado morto dentro de casa, no bairro Caji, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador, na noite de segunda-feira (7). A suspeita é de que ele tenha sido espancado pelo padrasto dias antes de morrer.

A mãe da criança, uma jovem de 19 anos, contou que a situação aconteceu enquanto estava com Adrian, o companheiro e a filha do casal, uma bebê, na região de Cabuçu, distrito da cidade de Saubara, que fica a cerca de 100 quilômetros da capital. Ela disse que chegou a viajar com a criança já morta de Saubara a Lauro de Freitas, em um ônibus, sem que as pessoas percebessem, para pedir socorro à família. A polícia ainda não confirmou se Adrian já estava sem vida durante a viagem, que dura cerca de uma hora e meia. O padrasto é procurado para prestar depoimento.

Veja abaixo o que se sabe e o que falta esclarecer sobre o caso:Quem morreu?

Quais as circunstâncias da morte?

Quem é o suspeito?

Quando o crime aconteceu?

O que dizem as polícias?

Quem morreu?O menino Adrian Benjamin Santana, de dois anos. Ele foi encontrado morto por policiais militares na casa da mãe, na Rua Duque de Caxias, no bairro Caji, em Lauro de Freitas. A Polícia Militar foi acionada pela bisavó da criança, depois que a mãe do menino esteve na casa dela para pedir ajuda.

Quais as circunstâncias da morte?

As circunstâncias da morte de Adrian ainda são um mistério. A mãe da vítima informou que o menino foi agredido pelo padrasto, enquanto a família passava alguns dias na região de Cabuçu, distrito da cidade de Saubara, onde o suspeito trabalha. Os detalhes sobre a agressão não foram divulgados, mas testemunhas afirmaram que o rosto do menino estava machucado e a cabeça, inchada.

Uma perícia foi feita para determinar o que causou o óbito de Adrian, mas o laudo só deve sair em 30 dias. Quem é o suspeito?O suspeito do crime é o padrasto de Adrian, identificado apenas pelo prenome Tiago.

Familiares da vítima, como a bisavó e a avó de criação do menino, afirmam que ele era agressivo com a criança, a quem impunha castigos físicos severos. Em depoimento à polícia, a mãe da criança reforçou que o filho foi espancado por Tiago. A Polícia Civil ainda não o localizou para prestar depoimento, no entanto, ele não é considerado foragido. Quando o crime aconteceu?

Os castigos físicos à criança já eram praticados há alguns meses, mas o espancamento teria acontecido no dia 1º de fevereiro. Depois disso, Adrian chegou a passar mal por alguns dias, até ser encontrado morto na noite de segunda-feira (7).

Fonte:g1.globo.com/ba