CINCO PEDIDOS

EDUCAÇÃO PÓS – PANDEMIA

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Jesus reza, e isso desperta interesse nos discípulos que lhe pedem: ensina-nos a rezar. O Mestre lhes apresenta a oração do Pai Nosso. A seguir, exorta seus seguidores a serem perseverantes na oração: “Peçam e lhe será dado”. Cinco são os pedidos da oração do Pai Nosso apresentados pelo Evangelista Lucas.

PEDIMOS que seja santificado o nome de Deus-Pai. Santificar o nome de Deus é se comprometer com Ele e com o projeto de Jesus. Ser filho(a) de Deus leva a ter com Ele uma relação de confiança. Deus não é Pai severo, mas bondoso e cheio de misericórdia de quem não temos medo. Com Ele estamos em casa.

PEDIMOS que venha a nós o Reino do Pai. Desejar o Reino de Deus é abrir-se para acolher o projeto de solidariedade, justiça e paz vivido por Jesus, o qual somos convidados a tornar sempre mais concreto em nossa família e sociedade. O serviço é uma característica da missão de Jesus: “Eu vim para servir e não para ser servido”. (Mt 20,17). Deve ser, também, uma atitude diária em nossa vida familiar e social.

PEDIMOS para todos o pão de cada dia. Necessitamos de pão para viver, direito de todos. A nenhum cidadão deve faltar o alimento de cada dia. O pão simboliza as necessidades básicas da pessoa para viver com dignidade. Por causa da ganância de alguns, muitos passam fome. O pão repartido, não acumulado, é o centro do projeto de Jesus.

PEDIMOS que o Pai nos perdoe e fundamentamos esse pedido no fato de nós também perdoarmos aos outros. O perdão de Deus constitui o modelo do nosso agir. Jesus nos revela o grande amor e a infinita misericórdia que Deus tem para cada ser humano. Da mesma forma, somos convidados exercer a misericórdia para com os irmãos e irmãs.

PEDIMOS que o Pai não nos deixe cair em tentação. Ou seja, que nos livre de direcionar a vida por um caminho que não seja o da Palavra de Deus e da Igreja. São muitas as tentações de satanás que nos afastam dos caminhos de Deus e nos impedem de viver como Jesus viveu. A tentação não é pecado. O próprio Cristo sofreu tentações. Essas são oportunidades para percebemos o quanto necessitamos de Deus para vencê-las.

O PAI NOSSO é a síntese do Evangelho e do projeto de Jesus. Estabelece duas grandes verdades: a Paternidade divina e a conseqüente Fraternidade humana. Há um só Pai e, logicamente, todos somos, e devemos viver, como irmãos. Mais que uma oração, o Pai Nosso é uma atitude: o filho coloca-se, cheio de confiança, diante de Deus que é nosso Pai.

Dom Itamar Vian
Arcebispo Emérito
di.vianfs@ig.com.br