Após assembleia, professores de Feira de Santana mantém greve; movimento chega ao 5° dia

Após assembleia, professores de Feira de Santana mantém greve; movimento chega ao 5° dia

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Cerca de 500 professores votaram pela manutenção. Categoria reclama da falta de diálogo.

Os professores integrantes do movimento de ocupação na prefeitura de Feira de Santana, segunda maior cidade da Bahia, decidiram manter a greve após assembleia. O movimento da categoria chegou ao quinto dia nesta segunda-feira (4).

Cerca de 500 professores votaram pela manutenção da greve por tempo indeterminado. A categoria reclama da falta de diálogo com a prefeitura.

Entre as reivindicações, os professores pedem reajuste salarial, pagamento integral do salário, licença prêmio, melOutra decisão tomada pelo grupo foi a realização de uma marcha até o Complexo de Delegacia de Feira de Santana para prestar queixa contra agressões sofridas por guardas municipais na última semana.hores condições de trabalho, mais contratação de professores e merenda escolar.

Outra decisão tomada pelo grupo foi a realização de uma marcha até o Complexo de Delegacia de Feira de Santana para prestar queixa contra agressões sofridas por guardas municipais na última semana.

A secretária de Educação, Anaci Paim, afirma que se reuniu com o prefeito Colbert Martins para tentar atender algumas das reivindicações dos professores.

Professores de Feira de Santana deixam sede da prefeitura após liminar da Justiça — Foto: Izinaldo Barreto

Parte dos professores da rede municipal de Feira de Santana ocuparam a sede da prefeitura do município na quinta-feira, após decidirem pela greve. O grupo deixou o local um dia depois após uma liminar da Justiça.

Na manhã de sexta, os professores divulgaram novas imagens da confusão envolvendo guardas municipais, que agiram de forma truculenta contra os grevistas.

Apesar da ação, que tentava retirar professores do prédio, cerca de 30 professores seguiram no interior do prédio. Além disso, muitos professores ficaram do lado de fora da prefeitura.

Mesmo com as imagens de testemunhas que estavam dentro da sede da prefeitura, a gestão municipal informou que não houve excessos por parte da Guarda Municipal, e que os agentes teriam agido da forma que deveriam. No site oficial, a prefeitura ainda divulgou a imagem de um agente da guarda municipal que teria sido agredido com uma cotovelada no rosto durante a ação contra os professores.

De acordo com a prefeitura, o suspeito de agredir o agente seria assessor do vereador Jhonatas Monteiro. Ainda de acordo com a gestão municipal, o homem foi conduzido para delegacia, onde foi prestada queixa.

Os educadores que estavam no interior do prédio receberam comida e água com o auxílio de um balde preso em uma corda de maneira improvisada.

Professores de Feira de Santana seguem com ocupação na prefeitura e recebem comida com auxílio de balde preso em corda — Foto: Reprodução/TV Bahia

Nesta sexta, estudantes foram para a frente da prefeitura para apoiar o movimento dos professores. Eles seguraram cartazes com frases como: “quanta humilhação para ser um professor” e “enfim a ditadura”.

Na noite de quinta-feira, alguns professores foram expulsos do local por guardas municipais. Imagens publicadas nas redes sociais mostram que os agentes chegaram com extintores.

Nas imagens, professores descem as escadas sob xingamentos dos agentes municipais. É possível ver muitas cadeiras espalhadas no local. Apesar da situação, alguns professores conseguiram ficar no local.Outro vídeo, gravado no final da manhã de quinta, mostra o momento em que guardas municipais usaram spray de pimenta para evitar que professores e vereadores entrassem no local.

Fonte:g1.globo.com/ ba