Feira de Santana Tempo
FEIRA DE SANTANA Tempo

“A esperança não engana” (Rm 5,5). Amigos de sempre e para sempre !

Compartilhe

Share on whatsapp
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin

Desespero anunciado

É a página de todos que acreditam na amizade e no seu poder de libertação e felicidade.É o lugar daqueles que percebem na amizade o fator de realização e perfeição. Quem vive a fazer o bem é feliz!

Para que essa agonia exorbitante? Parece que tudo vai se esvair
O que se deve fazer? Viver recluso na própria prisão?
Qual o sentido do que se faz e do que se pensa? Para dar satisfação?
Por que esse vazio em derredor? Esse medo é real?
Qual o valor de todos os sacrifícios e renúncias? Viver é se esconder…
O que explica essa sensação de inutilidade? Todos encurralados
O que é que leva a se ter uma náusea constante? A sensação de desespero
Por que nada satisfaz completamente? Ninguém é feito para se recrudescer
Onde se conquista essa serenidade e essa paz que anseio? Suprir o medo
De onde vem esse dissabor perante a vida? A falta de perspectivas
Por que tudo incomoda a e causa nostalgia? Não se sabe onde está a saída
Por que o silencio causa mais rumor que o nada? Os conchavos são tantos
E esse desejo de algo que não se compreende o que bem seja? Incertezas apenas
De onde vem tantos desafetos e tantas incertezas? Da mania de controle
O tempo, o futuro, o espaço e a esperanço que sentidos têm? Estão simplesmente …
Esse inverno chuvoso de saudades e de necessidades vai durar sempre? Interpelações
O verão iluminado e as cores que dão beleza duram somente um pouco…, reticências
Chegou o tempo de dar o tempo a tudo isso que é pura inutilidade
Nada mais importa, resta-me somente:
Existência fragmentada
Vida desapontada
Vocação despedaçada
Viagem destroçada
Estrada sem saída.
Coração desiludido
Futuro incerto
Desejos insanos
Andar sem destino‼!
Sonhos, construções, status, conquistas e reconhecimentos, tanto faz!
Tudo isso é o que? O que significa? Qual o seu valor? Saboreia-se
Diante da inenarrável passagem de tudo e de todos, o que permanece? Devaneios
A triste constatação da inutilidade. Jogados no meio do nada
Tenho que viver assim, certo da minha inutilidade e que tudo não passa de mera vaidade!
Laços, vínculos, articulações, histórias e aventuras… pensamentos tolos!
São elementos inconstantes e inconsistentes de fugidios átomos existenciais.
Dinamismo de uma realidade aterrorizada, mas ainda se tem sentido?
Esboço de sistema jamais concretizado, basta o que resta
Fundamento de uma investigação descabida, mera distração
Compêndio de uma inutilidade concebida. Desespero anunciado!

Foto Reprodução:mesagenscomamor.com

Fonte:P. Jorge Ribeiro
www.pjribeiro.blogspot.com